PROJETOS CORPORATIVOS SUSTENTÁVEIS: A RELAÇÃO ENTRE MEIO AMBIENTE E TRABALHADORES

Visualizações: 158

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54038/ms.v3i2.35

Palavras-chave:

Projetos Corporativos. Sustentabilidade. Ambiente. Trabalhadores. Meio Ambiente.

Resumo

O objetivo é identificar a relação entre meio ambiente e os trabalhadores na elaboração de projetos corporativos sustentáveis. O trabalho se caracterizou como uma pesquisa qualitativa, tipo revisão bibliográfica. Os resultados apresentaram que o espaço corporativo deve: criar, transmitir os objetivos empresariais e elementos da marca; ser sustentável, ou seja, suprir a necessidade do mercado global sem se instrumentalizar no desenvolvimento de estratégias, ações sociais e ambientais; promover a Saúde e Bem-estar dos Trabalhadores; pois o maior patrimônio da empresa são os trabalhadores; produzir produtos sustentáveis, reutilizar e reciclar materiais, incorporar materiais de baixo impacto ao meio ambiente, estimular os cuidados com o meio ambiente e os indivíduos. Além disso, é apresentado duas vertentes do conceito de sustentabilidade, a ativa e a passiva, relacionadas a Projetos Corporativos. Conclui-se que as pressões competitivas impõem transformações em toda empresa/organização. A evolução dos recursos humanos e físicos estão cada vez mais disponíveis para as organizações que investem em modelos corporativos sustentáveis.

Referências

Pimenta T, Oliveira FAF. A influência da tecnologia nas relações familiares. Revista Uningá, 2018 [citado 2022 nov. 21]; 55(4):138-147. Disponível em: https://revista.uninga.br/uninga/article/view/2411/1798. DOI: https://doi.org/10.46311/2318-0579.55.eUJ2411

Cerqueira HEG. A economia evolucionista: um capítulo sistêmico da teoria econômica? In: Rapini M, Ruffoni J, Silva LA, Albuquerque EM, organizadores. Economia da ciência, tecnologia e inovação: fundamentos teóricos e a economia global. Belo Horizonte: CEDEPLAR, 2021. p. 33-51.

Monteiro AR. Educação ambiental: um itinerário para a preservação do meio ambiente e a qualidade de vida nas cidades. RDC, 2020[citado 2022 nov. 18];12(1):830-850. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/rdc/article/view/42078/33520. DOI: https://doi.org/10.12957/rdc.2020.42078

Berzoini ID, Freitas AAMR, Oliveira JG, Evangelista S. Da caixa branca ao monumento de vidro. In: Anais Ateliê Técnico Científico 1 semestre; 2018;9(2):1-85; Juiz de Fora. Juiz de Fora: Rede de Ensino Doctum: Instituto Ensinar Brasil, 2018.

Ramires Junior SP, Gallardo ALCF, Gabriel MLDS, Shibao FY. Responsabilidade socioambiental e o comportamento dos clientes na decisão de compra. Revista de Administração Unimep, 2018;16(2):132-156.

FAMART. Pós-graduação: metodologia e pesquisa científica. Belo Horizonte: Editora FAMART: Grupo Educacional, 2022.

Fundação Getúlio Vargas, Centro de Estudos Em Sustentabilidade – FGV/CES. Fóruns empresariais: sustentabilidade e responsabilidade corporativa: um passo adiante. Organizadores Centro de Estudos em Sustentabilidade (CES) da FGV-EAESP e AMCE Negócios Sustentáveis. 1. ed. São Paulo: AMCE, 2007.

Lousã EP, Couto AI, Martins D, Rodrigues AC. Impactos da experiência de trabalho remo na gestão de pessoas: os casos dos setores da indústria e das tecnologias da informação. In: Anais 10° Conferência Internacional Investigação e Intervenção em Recursos Humanos, 28-29 out. 2021; Lisboa. Lisboa: Centro de Administração e Políticas Públicas, 2021[citado 2022 nov. 21]. Disponível em: https://parc.ipp.pt/index.php/iirh/article/view/4370/2138.

Selligman-Silva E. Psicopatologia e saúde mental no trabalho. In: Mendes R, organizador. Patologia do trabalho. 2a ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2003. p. 1142-1182.

Sausen JFL, Baggio DK, Roveda TS, Brizolla MM. Gestão humanizada e responsabilidade social no cooperativismo de crédito: aplicações e contribuições. Research, Society and Development, 2020;9(7):e492974417. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4417

Cescon DA, Oliveira RB. Responsabilidade social corporativa: ética e cidadania. In: Anais 3° EPEGE, Ponta Grossa, 2006. Ponta Grossa: CEFEPR, 2006.

Brasil. Lei n° 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional de Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 2 set. 1981. Seção 1:16509.

Neves LF Benedicto SC, Bittencourt JJ, Pacobello DR. Sustentabilidade, ética e responsabilidade social nas organizações: uma reflexão teórica. Brazilian Journal of Development, 2021[citado 2022 nov. 21];7(7):72666-72690. Disponível em: DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-444

https://ojs.brazilianjournals.com.br/ojs/index.php/BRJD/article/view/33203/pdf.

Mansano SRV, Nalli M. Sustentabilidade e biopolítica: um problema para a

contemporaneidade. Psicol. soc., 2017[citado 2022 nov. 6];29(e156315)1-8. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-955853.

Donaire, D. Gestão ambiental na empresa. São Paulo: Atlas, 1995.

Ayres MAC. O reaproveitamento dos resíduos sólidos na produção de cerâmica como fator de redução de custos. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, 2020[citado 2022 nov. 21];9(3):325-334. Disponível em: https://portaldeperiodicos.animaeducacao.com.br/index.php/gestao_ambiental/article/view/7421/5412. DOI: https://doi.org/10.19177/rgsa.v9e32020867-882

Malvezzi, M. Identidade e sustentabilidade: os caminhos do homem-fronteira na atualidade. Psicol. Soc., 2017;29(e171993). DOI: https://doi.org/10.1590/1807-0310/2017v29171993

Wisniewski, P P. Síndrome de Burnout no trabalho da enfermagem em unidade de terapia intensiva, centro cirúrgico e unidade de emergência: uma revisão integrativa da literatura. 2020. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem – Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, 2020.

Chiaretto S, Silva ACSO. Um estudo sobre medidas adotadas nas empresas para se obter a integração do desenvolvimento sustentável como gestão estratégica organizacional. Revista Científica Faculdade Unimed, 2020[citado em: 21 nov. 2022];2(1):41-65, 2020. Disponível em: https://revista.faculdadeunimed.edu.br/index.php/RCFU1/article/view/111. DOI: https://doi.org/10.37688/rcfu.v2i1.111

Brasil. Constituição, 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 2002a.

Brasil. Lei n° 8.213, de 24 de julho de 1991. Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 25 abr. 1991. Seção 1:14809.

Brasil. Lei Complementar n° 150, e 1 de junho de 2015. Dispõe sobre o contrato de trabalho doméstico; altera as Leis nº 8.212, de 24 de julho de 1991, nº 8.213, de 24 de julho de 1991, e nº 11.196, de 21 de novembro de 2005; revoga o inciso I do art. 3º da Lei nº 8.009, de 29 de março de 1990, o art. 36 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, a Lei nº 5.859, de 11 de dezembro de 1972, e o inciso VII do art. 12 da Lei nº 9.250, de 26 de dezembro 1995; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 2 jun. 2015. Seção 1:1.

Brasil. Presidência da República. Decreto-Lei n° 5.452, de 1 de maio de 1943. Aprova a Consolidação das Leis de Trabalho. Diário Oficial da União, Brasília, 09 ago. 1943. Seção 1:11937.

Brasil. Lei n° 6.514, de 22 de dezembro de 1977. Altera o Capítulo V do Título II da Consolidação das Leis do Trabalho, relativo à segurança e medicina do trabalho, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 23 dez. 1977. Seção 1:1777.

Estramianaj LA. Desempleo y bienestar psicológico. Madrid: Siglo XXI de Espanã Editores, 1992.

Vilarinho KPB, Paschoal T, Demo G. Teletrabalho na atualidade quais os impactos no desempenho profissional, bem-estar e contexto de trabalho? Revista do Serviço Público, 2021;72(1):133-162. DOI: https://doi.org/10.21874/art-5-2022-01-19-61e8631b4c10b

Tamoyo A, Paschoal T. Relação entre motivação para o trabalho e metas do trabalhador. Revista de Administração Contemporânea, 2003;7:33-54 DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-65552003000400003

Kohn ML, Schooler C. Job Conditions and personality: a longitudional assessment of their reciprocal effects. The American Journal of Sociology, 1982; 87:1257-1286. DOI: https://doi.org/10.1086/227593

Cantelli JR, Fornazieiro MPA, Marcucci, JC. Natureza, meio ambiente e sustentabilidade: revisão histórica dos conceitos e suas correlações na ciência geográfica. In: Anais 2 º Congresso Brasileiro de Organização do Espaço, Anais 14° Seminário da Pós-Graduação em Geografia, 24 a 28 mar. 2019, Rio Claro. Rio Claro: UNESP–Rio Claro, 2019.

Moura CB, Pinheiro CC, Silva TM. Gestão estratégica em recursos humanos. RH Visão Sustentável, 2019 [citado 2022 nov. 21];1(1):76-95. Disponível em: https://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/rh_visaosustentavel/article/view/3249.

Nascimento, N M, Lunardelli, R A. O arquivista empreendedor. Informatio, 2021[citado 2021 nov. 21]26;2:165-188. Disponível em: https://informatio.fic.edu.uy/index.php/informatio/article/view/322/381.

Villarouco V. Construindo uma metodologia de avaliação ergonômica do ambiente. In: Anais 14º Congresso Brasileiro de Ergonomia, Anais 6º Fórum Brasileiro de Ergonomia, Anais 6º ABERGO Jovem, 2-6 nov. 2008, Porto Seguro. v. 13, Porto Seguro: ABERGO, 2008.

Abrantes DSS. A responsabilidade da empresa para além do contexto de saúde e segurança no meio ambiente de trabalho. Revista Arquivos Científicos (IMES), 2020[citado 2023 fev. 10];3(2):46-51. Disponível em: https://arqcientificosimmes.emnuvens.com.br/abi/article/view/362/127. DOI: https://doi.org/10.5935/2595-4407/rac.immes.v3n2p46-51

Brasil. Ministério do Trabalho. Manual de aplicação da norma regulamentadora nº 17. 2a ed. Brasília: MTE, SIT, 2002b.

Edwards, B. O guia básico para a sustentabilidade. São Paulo: Editora Gustavo Gili, 2013.

Ferreira M. Qualidade de vida no trabalho. In: Cattini AD, Holzmann L, organizadores. Dicionário de Trabalho e Tecnologia. 2a ed. (revi. e amp.). Porto Alegre: Zouk, 2011.

Barbieri JC, Cajazeira JER. Responsabilidade social empresarial e empresa sustentável: da teoria à prática. São Paulo: Atlas, 2009.

Downloads

Publicado

13/04/2023

Como Citar

Machado dos Santos, A. (2023). PROJETOS CORPORATIVOS SUSTENTÁVEIS: A RELAÇÃO ENTRE MEIO AMBIENTE E TRABALHADORES. Multidisciplinary Sciences Reports, 3(2). https://doi.org/10.54038/ms.v3i2.35

Edição

Seção

VI - CIÊNCIAS HUMANAS
Received 2023-03-12
Accepted 2023-04-12
Published 2023-04-13